sábado, 14 de março de 2015

Eu ví parte 1/2



Eu demorei um pouco para abrir meus olhos, o sono fazia com que eu cambaleasse de um lado pro outro. O despertador do celular apontava que era 6:42, soltei um grande suspiro.

Era segunda-feira, comecei a vasculhar meu guarda-roupa tentando achar uma roupa decente para ir pro trabalho. Mas eu não tinha vontade de fazer nada. Não porque era segunda-feira, mas porque eu não tinha mas vontade de viver.

Já fazia dois dias que eu consegui de fato acessar a Deep Web, se você não sabe oque é Deep Web, pesquise e descubra.

Era um sábado qualquer em que eu estava em casa descansando do trabalho. Eu não era um adolescente muito ocupado, afinal eu tinha ido morar sozinho aos 19 anos, meus pais tinham se divorciado e eles não me apoiaram nenhum pouco em minha ida pra faculdade.

Estava no segundo ano em cinema. Eu precisava fazer um trabalho sobre algum site polêmico, dar suas informações, história e até fazer um filme dentro desse assunto.

Eu estava navegando em um blog de política, anotando e anotando tudo o que se passava nele. Aquela merda não tinha me rendido nenhuma empolgação. Já eram 11:37. Eu estava decido em fazer meu trabalho sobre aquele blog quando minha caixa de e-mail me avisou de uma nova mensagem.

Era um novo vídeo do AmbuPlay, nele estava o seguinte título: "Lendas da Deep Web: Tráfico de órgãos". Minha mente se voltou toda para aquela palavra. Deep Web, era um passo para meu lindo 10.

Não almocei. Passei a tarde toda pesquisando dentro de blogs e sites de como entrar na Deep web, eu queria uma coisa mais profunda, não apenas baixar o TOR e entrar, não. Até ai eu já estava sabendo dos riscos e das consequências, porém, nada me dizia que aquilo estava errado, não tinha aquela consciência do medo e da razão. Acessei vários vídeos no youtube com tutoriais, vídeo-aulas e outras babaquices que ensinavam esse tipo de acesso. Depois de ter todas as informações necessárias, eu começei a ter medo, e isso me ajudou a pensar bastante antes de navegar naquilo. Juntei as informações precisas, baixei pilhas de programas crackeados para minha proteção na navegação do site, tomei coragem, dei um último resumo em minha mente da merda que poderia acontecer.

Eu não queria fazer isso, no fundo eu queria mesmo pegar um site cocô e falar sobre o que se passava nele. Mas minha curiosidade ganhou do medo.

Eu não acessei aquela simples página do TOR, eu realmente fiquei duas horas farejando aquela merda clicando e clicando em links escrito em russo e alemão enquanto eu bebia meu estoque todo de energético. Era engraçado, a Deep web lembrava muito como a internet era à dez anos atrás, com links embaixo de links. Cada site que eu clicava demorava um minuto para carregar. Algo dentro de mim dizia: pare por ai, pare por favor. Mas você sabe como é a mente humana, mesmo sabendo que aquilo pode destruir sua sanidade, mas a sensação de curiosidade toma conta de você. Depois de quase estar desistindo, eu consegui acessar um site que mudaria minha vida.

O site era todo preto com uma faixa vermelha no canto direito da tela, parecia ser um chat ou algo do tipo. Parecia ser russo. No final da página havia um link muito extenso e embaixo uma frase em vermelho. Acho que fiquei um minuto olhando para aquele link e pensando: o que tem ali? Que merda é aquela? Peguei meu mouse, levei até o X para fechar o programa, olhei para o relógio e vi que era 4:57. Merda, que se foda já é 5 horas da manhã! Voltei ao site e sim eu cliquei naquele link.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...